28 de março de 2012


Sem mais condições de viver esperando que você me esbarre. Viver esperando você tocar no assunto. Viver querendo o inédito, o inaudito. Você não sabe como se faz, ou se sabe não usa. Só desmente, me dribla, se esquiva, foge, vai pra longe, caçoa, observa, ri, dorme, me encontra, escuta, acha que eu não sei, pensa que eu não acho, e bla bla bla...

1 comentários:

Jéh Pucker disse...

ooi linda, adorei o blog, está lindo, parabéns! sempre passarei por aqui.
bj